Produtor triplica produção de leite com assessoria técnica oferecida pelo Procase

O objetivo da assistente era estimular os produtores a investir na produção, realizando tanto um trabalho técnico como social.

O agricultor Moacir Medeiros, que integra a Associação Comunitária dos Produtores Rurais da Comunidade Ponta da Serra do Brandão, conseguiu triplicar o rendimento dos caprinos leiteiros, num período de três meses, com ajuda da Assessoria Técnica (AT) oferecida pelo Governo do Estado da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento do Semiárido (Seafds), e Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú (Procase).

Moacir reside no sítio Mamões, localizado na zona rural do município de Junco do Seridó, e recebe ações de AT por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), que por meio de uma seleção pública presta serviços de Assessoria Técnica aos projetos produtivos apoiados pelo Procase nos territórios do Médio-Sertão e Seridó.

Por meio da Assistência Técnica, o agricultor passou de uma produção de 8 litros de leite por semana para 25 litros, com cinco cabras lactantes. Moacir possuía muita vontade de produzir e aumentar o rendimento de sua propriedade. Com o intuito de gerar mais leite, ele comprava farelo e produzia palma, mas sem a orientação adequada, os animais não correspondiam aos seus investimentos. A concentração errada dos alimentos e a desconsideração para melhorar a genética dos caprinos impossibilitavam o crescimento do produtor.

Em novembro de 2017, dentro do projeto produtivo apoiado pelo Procase, ele começou a receber acompanhamento de AT. A técnica de campo Lenice Menezes explicou a função alimentar de cada nutriente no organismo do animal e orientou quais caprinos podem produzir melhor. Moacir faz parte de uma das 32 famílias de produtores rurais que Lenice atende por meio do Procase.

O objetivo da assistente era estimular os produtores a investir na produção, realizando tanto um trabalho técnico como social. Por conta do desânimo com o campo, alguns produtores deixaram a atividade leiteira, e a assistente defende que eles voltem a investir nessa cadeia produtiva.

“A região do Médio Sertão tem forte cultura do caprino, além de ser muito propícia para o tipo leiteiro pela pouca disponibilidade de água que a região possui. Poucas outras espécies se desenvolveriam tão bem quanto o caprino, o que faz a atividade ser rentável. A falta de atendimento fez muitos produtores desistirem da cultura, pois não viam retorno. Meu trabalho é fazer eles entenderem os erros e consertá-los”, explica Lenice.

O caso de Moacir foi um dos maiores avanços na produção da área. Hoje, ele utiliza três tipos de ração: torta de algodão, farelo de milho e trigo. Das doze cabras do rebanho, cinco delas estão produzindo entre 20 a 25 litros de leite por semana, enquanto que a média da região é de 17,5 litros por semana.

Para intensificar a produção, os caprinos que ainda não são produtivos passarão por um acompanhamento nutricional, e manejo sanitário e reprodutivo para que se igualem às lactantes. “Antes o nosso dinheiro só dava para comprar a ração das cabras e agora já tá sobrando uma coisinha. A gente acha muito difícil no início, mas se começamos de pouquinho, vai chegando”, comenta Moacir.

O caso do produtor virou uma inspiração para os colegas da comunidade de Serra do Brandão, no Médio-Sertão paraibano, e muitos produtores estão procurando seguir seu exemplo e comprar alimentos para aumentar o lucro. “Só tá faltando chover pra melhorar mais ainda!”, celebra Moacir.

O empreendimento apoiado pelo Procase junto à comunidade de Serra do Brandão objetiva fortalecer a cadeia produtiva da caprinocultura na região, e a Associação está sendo beneficiada com a implantação de um campo de produção de palma forrageira, aquisição de máquinas e equipamentos, e de matrizes e reprodutores caprinos com aptidão leiteira.

No território do Médio-Sertão, o Procase apoia 11 projetos produtivos, em seis municípios distintos, com atividades de produção em ovinocaprinocultura, artesanato e fruticultura, totalizando um investimento de cerca de R$ 1,7 milhões. Em toda sua área de atuação o projeto possui 90 convênios com projetos produtivos em andamento, distribuídos em cinco territórios, com um investimento total de cerca de R$ 13.267.826,12.

O Procase é fruto da parceria entre o Governo do Estado da Paraíba e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), organismo das Nações Unidas (ONU), beneficiando 56 municípios do semiárido paraibano, e visa fortalecer a agricultura familiar e contribuir para o desenvolvimento rural sustentável, reduzindo os níveis de pobreza rural e fortalecendo ações de prevenção e mitigação da desertificação.

Minuto PB