MP-Procon pede prioridade a quem não têm acesso a meios eletrônicos em bancos de Campina Grande

Por Redação em 02/04/2020 às 17:33:20


Público prioritário é formado por pessoas que não possuam meios eletrônicos para o recebimento de salários, benefícios previdenciários e auxílio emergencial do Governo Federal. Bancos de Campina Grande devem atender o público prioritário, formado por pessoas que não possuam meios eletrônicos para o recebimento de valores

Jéssica Alves/G1/Arquivo

Agências bancárias de Campina Grande foram recomendadas a promoverem atendimento prioritário a pessoas que não possuam meios eletrônicos para o recebimento de valores e do auxílio emergencial, neste período de pandemia do novo coronavírus. A Diretoria Regional de Campina Grande do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (MP-Procon) expediu o pedido nesta quinta-feira (2).

De acordo com a recomendação, o público prioritário é formado pelos empregados públicos e privados, aposentados e pensionistas do setor privado e do setor público que não possuam meios eletrônicos ou magnéticos para o recebimento dos valores e os beneficiários do auxílio emergencial.

Ainda de acordo com a recomendação, as agências devem disponibilizar pessoal, efetivo ou terceirizado, na entrada da agência, para organizar o ingresso dos consumidores em número limitado e mantendo uma distância mínimo de 1,5 metro entre os clientes.

Também devem ser disponibilizados dispensadores de álcool líquido ou em gel, no teor de 70%, na entrada da agência, para manter a higienização permanente do local.

A recomendação foi expedida para que as medidas administrativas necessárias para cumprir o decreto estadual que permitiu a reabertura de agências, sejam efetivadas. A ação tem em vista que muitas pessoas precisarão das agências para receber salários, benefícios previdenciários e o auxílio emergência do Governo Federal. Por isto, aplicar medidas de restrição, devido ao elevado risco de transmissão da Covid-19 em ambientes de aglomeração, se torna necessário.

Em nota, a Federação Brasileira de Bancos afirmou que foram asseguradas as condições de um ambiente de trabalho com proteção à saúde: higienização, distanciamento entre os postos de trabalho, controle do número de pessoas dentro da agência, organização de filas para que não haja contato entre os próprios clientes.

Em regime contingenciado, as agências realizarão atendimento ao público pelo período mínimo das 10h às 14h. Para atendimento exclusivo para idosos, gestantes e pessoas portadoras de deficiências, o atendimento será das 9h às 10h, para impedir uma eventual contaminação de outros públicos com os grupos mais vulneráveis. Várias atividades administrativas devem ser feitas dentro da agência bancária para dar suporte ao atendimento não só presencial como nos canais digitais e remotos.

Além disso, a federação ressalta que existe um esforço do setor pelo alinhamento na adoção de práticas no enfrentamento ao coronavírus, mas cada instituição segue sua estratégia de negócios e política de organização do trabalho.

Fonte: G1 Paraíba

Comentários