Sindicato de trabalhadores repudia possível reabertura do comércio em Campina Grande

Por Redação em 31/03/2020 às 18:56:30


Presidente discorda com o calendário da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, que planeja retorno do comércio a partir da próxima segunda-feira (6). Presidente de sindicato repudia reabertura do comércio em Campina Grande, por temer saúde de trabalhadores diante da Covid-19

Artur Lira/TV Paraíba

Uma nota de repúdio à cartilha de planejamento estratégico da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, foi divulgada desta segunda-feira (30) pelo Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Campina Grande e Região. O presidente do sindicato, José do Coelho, manifestou-se contra a decisão de retorno às atividades na cidade, previsto para começar gradualmente na próxima segunda-feira (6) de acordo com a cartilha, temendo a saúde de trabalhadores do comércio e consumidores, diante da pandemia da Covid-19.

A Prefeitura de Campina Grande elaborou uma cartilha, com a proposta de retorno gradual do comércio, com início para o dia 6 de abril. As atividades comerciais foram suspensas na cidade por força de um decreto municipal que adotou medidas preventivas ao novo coronavírus.

Segundo a nota, o Sindicato dos Comerciários está traçando estratégias com entidades sindicais para realizar um movimento contra a reabertura das atividade do comércio neste período em que se prevê o crescimento da curva da pandemia.

De acordo o presidente, a Secretaria não estaria seguindo as orientações do Ministério da Saúde. Para ele, o momento exige o isolamento total da população para evitar a disseminação e contaminação do novo do coronavírus.

Ainda conforme a nota, obrigar o retorno dos trabalhadores, sem uma discussão com o sindicato da categoria, sobre a prevenção é expor todos ao risco de morte. Seria necessário resguardar trabalhadores e consumidores, de modo geral.

Apesar da cartilha já ter sido divulgada, a adoção do planejamento será decidida na próxima sexta-feira (3) pelo prefeito da cidade, Romero Rodrigues, junto com representantes do comércio, serviços, indústria, Ministério Público Estadual e Ministério Público do Trabalho.

Fonte: G1 Paraíba

Comentários